quarta-feira, abril 20, 2011

Embolia pós escleroterapia com microespuma ecoguiada da veia Safena Magna

Venho insistindo ao longo do tempo e em várias ocasiões para os riscos da escleroterapia com espuma das veias safenas. 

 No XXV Encontro de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro apresentei a palestra Complicações das Escleroterapias com Espuma.

No Jornal Vascular Brasileiro, Volume 09, Número 04, de Dezembro de 2010, que recebi no início deste mês, lí um Relato de Caso intitulado EMBOLIA ATRIAL DE TROMBO DA VEIA SAFENA MAGNA APÓS ESCLEROTERAPIA COM MICRO ESPUMA ECO GUIADA, de autoria do colega Rubens Pierry Ferreira Lopes e coautores da Faculdade de Medicina do ABC em Santo André(SP). Leia na fonte o caso completo.
Trata-se de um procedimento realizado dentro de todos os cuidados e parâmetros preconizados pelo Consenso Europeu para esta técnica. Mesmo assim a evolução se deu com as mesmas características de uma tromboflebite da Safena Magna com trombo flutuando para a luz da Veia Femoral. 

O inusitado do caso é que a embolia para o lado direito do coração se deu no momento em que a ultrassonografia Doppler (USD) de rotina estava sendo realizada, e a migração do trombo pôde ser acompanhada ao vivo e os procedimentos terapêuticos instalados de imediato com o paciente em Unidade de Terapia Intensiva e com um resultado final muito positivo.
Um dos objetivos dos espaços oferecidos pelas revistas científicas para os relatos de casos é provocar reflexões. 

 Me pergunto: e se o evento embólico tivesse ocorrido longe do ambiente médico? 

Podemos expor nossos pacientes em tratamento da doença varicosa dos membros inferiores a esse tipo de risco? Ou aos cada vez mais frequentes relatos de acidentes neurológicos cerebrais? Para o nível de benignidade da doença venosa podemos incrementar o rol dos danos colaterais para patamares tão dramáticos?
Já sabemos consensualmente o poder dos esclerosantes no formato espuma. 

Precisamos apenas cuidar para o uso que estamos fazendo deles. Trabalho com esses esclerosantes há três décadas mas continuo advogando que as técnicas cirúrgicas continuam sendo as mais apropriadas para os troncos safenos. Afinal de contas boa parte dos cirurgiões vasculares brasileiros já alcançaram o estado da arte no enfrentamento da doença varicosa.
As opções do endolaser e radiofrequência também estão encontrando indicações interessantes e sem os danos inaceitáveis para o território cardiopulmonar e cerebral.

22 comentários:

Bruno disse...

A Escleroterapia com espuma Eco Assistida, uma vez que a espuma vai onde ela quer, e o médico assiste teve neste evento um desfecho menos ruim.Na verdade o que estamos vendo é o uso mercantilista de uma técnica que tem suas indicações, que não são muitas,C5,C6 ,varizes recidivadas e olhe lá.A Cirurgia é segura e tem ótimos resultados.Parabéns Amorim por levantar esta questão.

Edno disse...

Caro colega Dr. Amorim,

Acredito que esses casos de complicações graves com a escleroterapia ECO-OBSERVADA(dito isso porque não se consegue guiar a espuma), são muito mais frequentes no nosso meio. É comum ouvirmos de pacientes, relatos de parentes ou conhecidos indo parar nas UTIs. O maior problema é que esses casos muitas vezes não são apresentados.

Um forte abraço.
Edno Lopes Caldeira. Belo Horizonte.
Angiologista e Cir. Vascular

Prof. Jeferson disse...

Gostaria de realmente ter a segurança para fazer espuma como tenho para fazer cirurgias. Tenho receio que realmente o que vemos nos congressos ultimamente tem sido mais propaganda que necessariamente dados estatisticos. Acho válida qualquer técnica que possa ampliar o grupo de pacientes que podem ser tratados, visto que alguns, pelo elevado risco cirurgico, tem contra-indicação para cirurgia. Gostaria de ver os debates científicos voltarem à tona nos congressos e encontros de nossa Sociedade, mas pelo que vejo é cada vez mais pessoas aprendendo algumas tecnicas de exceção como se fossem consenso. Vamos ver no que dá.
Abraços à todos!

Prof. Jeferson disse...

Gostaria de realmente ter a segurança para fazer espuma como tenho para fazer cirurgias. Tenho receio de que o que vemos nos congressos ultimamente tem sido mais propaganda que necessariamente dados estatisticos. Acho válida qualquer técnica que possa ampliar o grupo de pacientes que podem ser tratados, visto que alguns, pelo elevado risco cirurgico, tem contra-indicação para cirurgia. Gostaria de ver os debates científicos voltarem à tona nos congressos e encontros de nossa Sociedade, mas pelo que vejo é cada vez mais pessoas aprendendo algumas tecnicas de exceção como se fossem consenso. Vamos ver no que dá.
Abraços à todos!

Francisco Bastos disse...

Caro dr Amorim,
A Escleroterapia com Espuma está consagrada como técnica segura, 1A em evidência científica . Passou as técnicas cirúrgicas nos congressos europeus que caíram para 2A. Depois de onze anos e mais de sete mil sessões feitas no Brasil confirmo a segurança e convido o a vir a Minas verificar ao vivo e a cores nossa experiência Também sugiro verificar no Google academico nossas publicações pesquisando : "Bastos varizes" Pode ver também no you Tube.
Atenciosamente ao seu dispor. Francisco Reis Bastos, autor do livro , iBook, DVD " Escleroterapia com Espuma"
Belo Horizonte, Oliveira, MG

dedo na ferida disse...

Dr. Francisco Bastos:
Obrigado por suas considerações.
Faço escleroterapia com espuma artesanalmente produzida no ambiente do consultório desde 1987. Portanto é uma técnica com a qual já estou visceralmente familiarizado.
Entretanto, não uso esta técnica para o tratamento de varizes /refluxos em território troncular, sabidamente no território das veias safenas. Por dois motivos:
1. Sinto-me muito satisfeito frente aos resultados que obtenho com o tratamento cirúrgico das insuficiências dos troncos safenos. Tenho certeza de que eu não conseguiria esses mesmos resultados se me aventurasse a trata-los com escleroterapia química (com espuma ou não).
2. Me aferro ao princípio de que a mudança de uma abordagem terapêutica só deve ser adotada quando as evidências de que esta mudança representa um ganho substancial nos resultados, que não signifique um ônus/custo desproporcional para o paciente e não acrescente efeitos colaterais inaceitáveis para a patologia que está sendo tratada.
Por outro lado, acompanho com muita atenção e respeito aqueles que enveredam por essa opção. Sinto-me apenas, como médico, na obrigação de refletir, compartilhar e divulgar, dentro das minhas limitações, as informações pertinentes que vou encontrando sobre esse assunto. Sabemos todos que os “sucessos” tem divulgação ampla, geral e irrestrita, enquanto os eventuais danos e insucessos ficam no silêncio e na escuridão.
Não duvido da sua afirmação de que “a escleroterapia com espuma está consagrada como técnica segura”. Tenho certeza de que nas suas mãos esses eventos adversos e eventualmente dramáticos não ocorrerão. Nas minhas, já não tenho tanta certeza.
Temos assistido apresentações em nossos eventos que, fazendo apologia da escleroterapia ecoguiada (?) dos troncos safenos, mostram imagens de resultados desastrosos da cirurgia “convencional” de varizes. A se levar a sério essas imagens, a cirurgia de varizes deveria ser riscada do nosso arsenal terapêutico. É claro que um cirurgião que produz esses resultados inaceitáveis jamais deveria operar. Deve procurar outras formas de tratar as varizes de seus pacientes.
Você afirma também que a escleroterapia com espuma “ 1A em evidência científica passou as técnicas cirúrgicas nos congressos europeus que caíram para 2A”.
Não deixa de ser uma corrida muito curiosa, nem deixa de ser uma “vitória” esperada.
Talvez nos próximos congressos a cirurgia de varizes “caia” mais ainda.
A escleroterapia de varizes na Europa e nos EUA é realizada, na grande maioria, por outras especialidades não cirúrgicas, majoritariamente dermatologistas . E devem estar muito felizes quando nós, cirurgiões vasculares, afirmamos e divulgamos que temos maus resultados com nossas cirurgias. O que, insisto, não é verdade.
Aproveito a oportunidade para ratificar que acompanho com atenção as novidades da especialidade. É óbvio que nos assustamos um pouco quando recebemos divulgação de palestras com temas do tipo “TRATAMENTO DE VARIZES À LA CARTE”. Talvez a idade, no meu caso pelo menos, nos deixem pouco à vontade com essas abordagens. Estará o “mercado” finalmente ditando as regras da relação médico-paciente? Paciência, é sinal dos tempos!
Enfim, quando sinto necessidade, procuro compartilhar reflexões que considero pertinentes, respeitando os pontos de vista e as experiências de todos.
Considero que o equilíbrio, o bom senso, a humildade e a curiosidade científica são requisitos que nos podem levar à maturidade que os pacientes esperam de nós.
Mai uma vez, obrigado Dr. Francisco Bastos

Anônimo disse...

Olaa boa noite. Apos a escleroterapia a necessidade de repouso?

Emilze de Carvalho disse...

Gostaria de fazer uma colocação, como leiga no assunto. Se está comprovado internacionalmente, o sucesso desta intervenção ecoguiada, é fato que no Brasil a falta de aprofundamento nos temas é cultural, assim como a mercantilização exacerbada de uma técnica, que a meu ver tem sua aplicação muito restrita, a ponto de ser usada superficialmente pelos dermatologistas nos EUA. Meus prezados senhores, sugiro a vossa comunidade médica seguir a risca os procedimentos e recomendações da comunidade científica internacional, é preciso sinergia e muita humildade profissional para se conseguir resultados sérios e mais seguros.
Estamos hoje em um mundo globalizado e as fronteiras são mera ilusão.

Unknown disse...

Me ajude por favor ! Estou com uns vasinhos na perna esquerda ,de sangue e água , é pequeno é certa de 3 dedos quando criança me deu uma bolha no local aí estourou e ficou esses vasinhos e me encomoda muito pois tenho vergonha de usar short e o tratamento é muito caro o que faço ? Queria te mostrar a foto tem como pra você ver como está e me dá uma luz !

dedo na ferida disse...

Sra. Marina, se desejar, pode enviar foto para amorimdeandrade@gmail.com
ATT

Dário disse...

Olá meu pai fez o procedimento da espuma, e teve paralelamente atrofiamento do nervo óptico.
Será que a aplicação fez com que o trombo causa-se o atrofiamento do nervo óptico?
Obrigado

Dário disse...

Olá meu pai fez o procedimento da espuma, e teve paralelamente atrofiamento do nervo óptico.
Será que a aplicação fez com que o trombo causa-se o atrofiamento do nervo óptico?
Obrigado

Adriana Nati disse...

Fiz o procedimento com espuma densa e na parte lateral das pernas apareceram nódulos dolorosos. Voltei ao Angiologista e ele disse que era trombose, prescrevendo Hirudoid para passar na região, que ficou escurecida e Flebon comprs.
O que ocorreu após a aplicação da espuma é normal? corro algum risco tendo trombose?

dedo na ferida disse...

Sra. Adriana Nati
o risco da trombose pós escleroterapia depende da sua localização e da sua extensão; portanto o colega que executou o procedimento dispõe dos elementos para lhe orientar quanto a riscos eventuais. Att.

Unknown disse...

Boa noite! Minha mãe tá pra fazer o procedimento com espuma, e estou com medo pelo fato dela usar continuamente o Marevan devido ela ter a válvula mitral metálica. Há algum risco?
Agradeço desde já pela atenção.

Unknown disse...

Boa noite.
Minha mãe tá pra fazer esse procedimento com espuma, e eu estou com receio devido ela ser usuária continua do Marevan desde que ele faz a substituição da válvula mitral por uma metálica. Há algum risco no caso dela.
Grata.

Unknown disse...

Olá. Fiz a aplicação de espuma em umas varizes aparentes que me encomodava, mas foi mais por estética, depois ouvi falar que as pessoas que fazem esse procedimento tomam injeção de para evitar embolia, estou muito preocupada e com medo.Existem casos que precisam disso é outros não ou essa injeção deve ser tomada por todos antes da aplicação? Me responde por favor

Unknown disse...

Olá. Fiz a aplicação de espuma em umas varizes aparentes que me encomodava, mas foi mais por estética, depois ouvi falar que as pessoas que fazem esse procedimento tomam injeção de para evitar embolia, estou muito preocupada e com medo.Existem casos que precisam disso é outros não ou essa injeção deve ser tomada por todos antes da aplicação? Me responde por favor

Unknown disse...

BOA TARDE, ESTOU PARA AFZER A APLICACAO COM ESPUMA NA AFENA PERNA ESQUERDA APENAS, O MEDICO JA FEZ EM VARIAS PESSOAS, DEVO ?

Anônimo disse...

Não aconselho escleropatia.Tive caso de uma amiga ter feito e teve Trombose Venosa Profunda.Não aconselho e tem mais as pernas estão com manchas pretas.!!!

Anônimo disse...

Sim.Tem.

Unknown disse...

Passando para deixar minha experiência...
este ano fiz tratamento com a espuma densa. Já havia utilizado de outras vezes, mas desta vez evoluiu para trombose venosa profunda e embolia pulmonar. Foram 5 dias de UTI e 6 meses de tratamento com xarelto... Ainda estou em processo de verificação das trombofilias, que até o momento vem dando resultados negativos.
Não sabia dos riscos. Estou AINDA muito assustada com tudo!
E ressalto que neste meio tempo, conversando, encontrei muitas outras mulheres que passaram pelo mesmo!
Sou Aline, 42 anos, nunca tomei anticoncepcional, magra e ATLETA. EXAMES DE TROMBOFILIAS ATÉ AGORA NEGATIVOS...